Friday, April 9, 2010

Empregada domestica?! Parte 2

Gente, isto é INCRÍVEL. Eu realmente não tenho a menor idéia do que pensar sobre isto...antes, eu achei que eu estava exagerando, mas não; é assim mesmo.

Depois de meu primeiro post, e fiz um pouco de pesquisa sobre esta tema e encontrei relatos dos brasileiros que vão viver fora, nos chamados 'paises ricos' em procura de novas oportunidades, e ficam chocados ao ver que pessoas 'normais' limpam; coisa que eles, as princesas e príncipes da classe media brasileira, NUNCA FIZERAM NA VIDA.

Para eles, um coisa tão simples e onipresente no mundo como limpar a própria casa é uma ideia louca...uma curiosidade que eles jamais viram, e nem pensaram em fazer.

Uma brasileira que mora na Suécia disse:
Uma das coisas que as pessoas no Brasil mais se espantam é o fato de que nós não temos empregada. Até mesmo a empregada dos meus pais achou estranho. Quem limpa a casa então? – ela perguntou espantada. Respondi que nós limpamos, lavamos a roupa, cozinhamos (quer dizer, eu cozinho). Na minha família sempre tivemos empregada, assim como nas famílias dos meus colegas de escola, amigos, etc...Ter uma empregada doméstica aqui, por outro lado, custaria quase metade do dinheiro que temos disponível mensalmente.
Aposto que esta 'transição', foi muito difícil para ela, alem de ter que admiti-lo aos seus pais.
"Mamãe, aqui na Suécia, eu tenho que cozinhar, e limpar minha casa!" Que horror! huashuahuas!

Blog de uma brasileira que mora nos EUA:
Eu sempre achei isso interessante aqui, mesmo aquelas pessoas que tem muito dinheiro e casas grandes tem somente o que nos brasileiros chamamos de “diarista”, que vem uma ou duas vezes no mes para fazer uma limpeza geral. Eu nao sei dizer sobre os milionarios porque nao conheco nenhum (infelizmente), mas as pessoas da classe trabalhadora, classe media e classe media alta limpam a propria casa...Aqui cada um tem suas tarefas na casa, isso mesmo, ate os homens (isso e assunto para um outro post) e a casa esta sempre limpinha e organizada. Bem, vai da pessoa.

Normal, mas para os brasileiros é 'interessante' ver uma familia arrumar sua casa.

E ao contrário do que ela disse, aposto que já conheceu vários milionários, só que ela não sabia, porque eles não se comportavam como ela acha que milionários devem se comportar. A maioria deles, são caras normais, e assim como todo mundo, não têm empregadas.

Verinha, brasileira que mora na Australia disse:
Empregada? Soh milionario tem. Empregada que mora em casa? Soh ultra-super-hiper-milionario.

Para Verinha, mudar para Australia, foi uma experiencia de humildade, porque na Australia, assim como nos EUA e na Europa, ter empregada é um LUXO. Ela se dá conta de que os serviços na Austrália são caros porque tem que PAGAR alguem para faze-los. Não basta só jogar um punhado de moedas na cara de um pobre e fazer com que ele limpe sua casa.

Lucas, São Joãoense que faz intercambio nos EUA disse:
“como todo mundo fala, os americanos são mais frios que a gente. Outra diferença é que eles não têm empregadas domésticas e as crianças já aprendem a ter responsabilidade com a arrumação da casa desde pequenos, embora tudo seja mais fácil pela praticidade das máquinas”.

O Lucas, fica espantado ao ver que aqui nos EUA, jovens que nem ele, limpam, e tem responsabilidades na casa(coisa que ele jamais imaginava), mas tenta inventar desculpas dizendo "é porque lá eles tem máquinas de limpeza". RSRSRSRSRSRSRS!

Leticia, brasileira que mora no Canada disse:
Tem serviço mais ingrato do que o doméstico?
Você acaba de arrumar tudo e já tem que começar de novo…
A louça na cozinha parece que se multiplica em progressão geométrica. As roupas limpas ficam sujas de novo em um piscar de olhos e tem pêlo de cachorro onde vc nunca antes imaginou possível!!
Aff, meu respeito vai para as americanas, canadenses, inglesas e até as brasileiras que vivem sem empregada diárista…

Olha a deseperação dela por ter que viver sem empregada. Ela esta afligida pelas tarefas básicas, que todo mundo no canada faz.

Uma familia brasileira que mudou para Canada:
Quando imigramos para o Canadá, sabíamos das grandes mudanças e novas adaptações nas nossas vidas...no nosso dia-a-dia que estaríam por vir.

Uma delas é que iríamos passar a sobreviver sem ter uma empregada.

Nossa, que dramático! Mal conseguem SOBREVIVER sem empregada como se fosse uma questão de vida e morte. Coitados dos Brasileiros!

Eric, estudante brasileiro que faz intercambio no Canadá:

Dentre as diferenças culturais, Eric observou que... “Como lá eles não têm empregada na maioria das casas, as mães precisam cozinhar e lavar a louça.

Uau! Uma mãe que cozinha e lava a louça?! kkkkkkk


EU NÃO QUERO SOBREVIVER UMA SEMANA SEM DIARISTAAAAAAAAAAAAAAAAA! Tô aflita porque não quero lavar as roupas, passar, arrumar a cama, tirar o pó, secar, aspirar, cozinhar, polir…. nossa, com tantos verbos eu já me cansei!

Olha só, já ta cansada só de falar sobre trabalho domestico! Essas princesas brasileiras são demais.


Uma empregada é necessária para os que trabalham e tem familias grandes

Não...só se você vem de uma cultura preguiçosa.

Se você tem uma família grande é até mais fácil cuidar de uma casa, porque tem mais pessoas para compartilhar o trabalho.

Existe uma casal americano "Os Duggers", que virou famoso aqui por ter um monte de filhos:


Atualmente, eles têm 19 filhos, e não têm empregada nem babá nem nenhum tipo de ajuda contratada: eles fazem TUDO. E nem precisam de ajuda porque eles são todos bem disciplinados, trabalhosos, e responsáveis por si. Todo membro da família ajuda para fazer as tarefas de casa: os filhos mais velhos cuidam dos filhos mais jovens, todos ajudam para limpar a casa, as suas roupas, etc...

Se fosse uma família brasileira, aposto que eles precisariam de contratar um exército de empregadas para cuidar deles.

Uma brasileira que mora no Japão fala sobre as 'curiosidades' do Japão:
Todo japonês cuida da sua casa, das suas roupas, faz sua comida. Ninguém tem empregada, a gente não acha ninguém aqui para fazer uma faxina porque não tem mesmo. Eles são super organizados e aquelas regras de 5s valem em todas as residencias. Dificilmente você verá coisas fora do lugar numa casa japonesa.

Senhora, sinto muito, mas não é uma curiosidade que os Japoneses cuidam da casa. A curiosidade é que vocês não cuidam da casa e acham estranho alguém que faz.

Esta cultura que vocês têm é FASCINANTE mesmo, e única. Quem me dera. O brasil: País de mimadinhos, onde as pessoas da classe media vivem como realeza, e são dependentes de servos mal pagos, para fazer qualquer tipo de trabalho na própria casa. Alguém deve escrever um livro sobre este choque cultural que os brasileiros expatriados enfrentam quando vão viver fora. Para eles, mudar para um país desenvolvido, é um exercício de humildade, porque ficam sabendo que lá não existem empregadas, e são forçadas a limpar a própria sujeira - algo que jamais fariam no brasil.

13 comments:

Anonymous said...

Olha, eu caí nesse blog por acaso, mas achei muito interessante esse post, só que um pouco "politicamente correto" demais para o meu gosto.
Eu sou mãe de dois filhos pequenos e deixei de fazer estágio no exterior durante o meu doutorado exatamente por causa desse "detalhe": eu sabia que não poderia pagar uma empregada doméstica fora do Brasil, e também sabia que não daria conta do meu doutorado tendo que fazer pelo menos a metade das tarefas domésticas (supondo que a outra metade ficaria por conta do meu marido, pois as crianças são pequenas demais para uma ajuda mais substancial).
Note que serviço doméstico é sim, muito, muito pesado e demorado, e a cultura de não ter empregadas nos países desenvolvidos se sustenta muitas vezes à custa do abandono da vida profissional pelas mulheres que optam por ter filhos. Mas ela também se sustenta por outras coisas, como dietas a base de sanduíches, comida congelada e pizzas pedidas por telefone, por exemplo. Você acha que as empresas que produzem esses produtos e serviços tratam seus empregados muito melhor que nós tratamos os nossos empregados domésticos? Dolar por dolar, talvez eles ganhem mais, mas também trabalham feito loucos e como as coisas aí também são compradas em dolar (ou euro, ou yen), no final eles não vivem assim tão melhor assim.
Eu tenho empregada todos os dias sim, desde que tive filhos. Pago um salário decente dentro do contexto brasileiro, e não hesitaria em pagar o dobro se não gastasse quase metade do meu salário com escola e planos de saúde, praticamente obrigatórios no Brasil para quem quer um mínimo de qualidade de vida. Trato-a e ensino aos meus filhos a tratá-la com respeito e a valorizar o trabalho dela, dando pequenas ajudas, de acordo com a capacidade deles. Ela trabalha normalmente pouco mais que meio período e sai mais cedo ou se ausenta quando precisa. Eu nem mesmo pergunto porque, nunca pedi um atestado médico ou qualquer coisa parecida. Trocamos receitas e idéias sobre a educação das crianças. Portanto, não me envergonho de ter uma empregada doméstica. Pelo contrário, me orgulho de gerar um emprego do qual ela chega e sai todos os dias com um sorriso no rosto, certa de ser útil à pessoas decentes e também de ser querida e respeitada no seu ambiente de trabalho.

Anonymous said...

Estou morando na australia e aqui tambem nao tem, e um saco mesmo ter que ficar limpando a casa.

Uma coisa interessante sobre o que voce falou foi quando um amigo meu do japao disse que na casa do avó dele tinha 3 empregadas, os outros japoneses da minha sala de aula arregalaram os olhos como se nunca tivesse isso antes na vida, ri bastante.

TLC said...

Estou em Brasil agora, mas sou gringa do estados unidos. Eu concorda com a mae da duas garotos. Eu ainda nao tenho condiciones que pode support o salario do um ajudante em casa. Mas, quando eu ganhar mais, eu vou por que eu acho que vai ajudar muito em meu abilidade pra trabalhar melhor e um dia, ser mae. Empregada com uma boa agenda e chef e muito melhor do que desempregada mesmo. Me desculpe os errors--pensando em portugues e aprendendo tambem. Muito interessante!

Anonymous said...

ola,
eu nunca fui para fora do pais, sei que nestes países chamados ricos as pessoas não possuem empregadas ou coisa do tipo, pelo que vejo custo de vida destes países são altos,vou dizer do brasil aqui só tem empregada ou diarista geralmente pessoas de classe media ou alta, as pessoas de classes mais baixas quem fazem as tarefas é você mesmo quem mora junto a você.
As pessoas melhor condições não tem tempo ou não querem limpar suas próprias bagunças tem dinheiro pra que se sacrificar tanto,pague a alguem que esta disposto a limpar.não sei se e só o brasil que é assim.

Anonymous said...

Quanta besteira dita em tão poucas palavras.
Você acabou de generalizar um país inteiro pela experiência de uma minoria.
Pois saiba que, na minha criação e família e também a na da grande maioria das pessoa as quais eu convivo e conheço, jamais vi uma "empregada" da qual a você se refere. Isso é coisa de famílias antiquadas e de novelas televisivas.

Lamentável a sua postagem.

Sérgio Rocha said...

cara, você tem um português legal. vou lhe propor um teste: sabe o que significa a expressão 'vai se foder'? ou, mesmo, uma sinônima: 'vai tomar no olho do seu cu?'.

creio que seja isso o que qualquer brasileiro lhe diria, independemente do sotaque. simplista, reducionista, cego. um americano, obviamente.

Anonymous said...

Isso acontece devido a grande desigualdade de meu país.
Empregadas domésticas chegam a ganhar menos de 400 reais por mês(algo em torno de uns 280 dólares), assim sendo um raro caso, porque normalmente ganham bem menos, assim fica facil uma família de classe média contratar uma empregada, eu sinceramente, fui uma exceção, e nunca tive uma empregada, fui educado desde pequeno a limpar e arrumar minhas coisas.
Mas isso(das famílias brasileiras terem empregadas) é considerado até bom para o país, pois normalmente, estas estudaram pouco, vieram do interior, ou da região Nordeste e Norte(Amazônica)que são as regiões mais pobres do país, se não fosse o trabalho dessas emrpegadas, elas provavelmente estariam morando na miséria.
Felizmente, a situação está mudando, as regiões norte e nordeste estão se desenvolvendo, e cada vez mais é mais raro encontrar uma família com empregada, bem mais raro que antes.

Marcos Vinicius Gomes said...

Perfeito post...isso é uma coisa pouco debatida entre nós, país de raízes escravocratas e racista. A classe média e alta que gosta de copiar tudo 'da gringa' não copia as coisas que deveriam. Filhos da classe média brasileiras são 'principes' mesmo! Isso se reflete no dia a dia. Em meu serviço, os alunos querem que você faça tudo (sou professor) e isso se estende em todos os níveis. Isso é um mecanismo perverso de exclusão social perene - a mãe que trabalha fora pega uma empregada que não tem marido, é mãe solteira para cuidar de seus filhinhos mimados que não sabem lavar um copo. Estes mimados vão para a universidade enquanto os filhos da empregada irão para o anominato social e terão filhos que repetirão a exclusão. Alguns amigos questionam quando digo que emprego doméstico é coisa de país atrasado.Não, não é. É algo de país que não saiu da adolescência, do cinismo e da inércia mental...

Anonymous said...

Você realmente trata tal assunto como algo abominável. Fui criada em uma família que sempre teve perfeitas condições de manter empregadas, pagando mais que um salário mínimo (que gira em torno de 500 reais) para elas, porém meus pais não viveram assim sua infância. Minha avó paterna teve de viver em casa por causa disso, não conseguiu conciliar o número de filhos com o trabalho e os afazeres e isso sim é algo que eu ABOMINO: desistir de seu trabalho para fazer jantarzinho pra família. Podemos ver isso como criação de um povo recostado e preguiçoso, ou, como eu vejo, necessidade. O número de mulheres que deixa de trabalhar nos EUA para ter filhos é cerca de 4 a 5 vezes maior que no Brasil. Aqui os salários não rendem. O alto custo de vida em países como o Brasil são determinantes para a necessidade de termos o casal trabalhando. Os filhos aqui tem rotinas fixas e costumam ter menos liberdade que nos EUA. As rotinas começam usualmente as 5 ou 6 da manhã e as mamães ou papais (embora você aparentemente não goste da ideia do homem cozinhando, por que será?) não tem tempo de preparar ovos fritos com bacon para suas crias. Esses mesmos papais e mamães após um dia complicado no trabalho chegam em torno das 9, 10 ou até 11 da noite em casa (Esqueça seu 9 to 5 pace). O que você gostaria de encontrar? Sua casa limpa, comida pronta. É isso que nos motiva a procurar empregadas domésticas. Um universitário aqui não conta com essas mordomias, assim como alguém que acabou de obter emprego. Vejo minha família um tanto quanto a do Jim Carrey em Dick & Jane. Eles tem empregada. E são americanos. Ela é mexicana. OH meu Deus! Isso é quase como falar que vocês exploram o baixo custo da mão de obra importada! Mas isso seria ridículo, não?


Sabe, falei tudo isso e acho que o que eu mais queria dizer era simplesmente:
Não generalize. Não cuspa na cara da cultura alheia. É o costume no país, não vemos nada de errado nisso, achamos estranho o quanto famílias americanas e de países desenvolvidos, nos quais a mão de obra é CARA (o que não acontece aqui)se esforçam na divisão de tarefas e até os admiramos. E você tem todo direito de achar estranho apelarmos para uma empregada, mas não esculache. Quem pode pagar, tem direito ao conforto que lhe pode ser proporcionado pelo dinheiro. Pelo menos nossa mão de obra é nossa. :)

Anonymous said...

Você realmente trata tal assunto como algo abominável. Fui criada em uma família que sempre teve perfeitas condições de manter empregadas, pagando mais que um salário mínimo (que gira em torno de 500 reais) para elas, porém meus pais não viveram assim sua infância. Minha avó paterna teve de viver em casa por causa disso, não conseguiu conciliar o número de filhos com o trabalho e os afazeres e isso sim é algo que eu ABOMINO: desistir de seu trabalho para fazer jantarzinho pra família. Podemos ver isso como criação de um povo recostado e preguiçoso, ou, como eu vejo, necessidade. O número de mulheres que deixa de trabalhar nos EUA para ter filhos é cerca de 4 a 5 vezes maior que no Brasil. Aqui os salários não rendem. O alto custo de vida em países como o Brasil são determinantes para a necessidade de termos o casal trabalhando. Os filhos aqui tem rotinas fixas e costumam ter menos liberdade que nos EUA. As rotinas começam usualmente as 5 ou 6 da manhã e as mamães ou papais (embora você aparentemente não goste da ideia do homem cozinhando, por que será?) não tem tempo de preparar ovos fritos com bacon para suas crias. Esses mesmos papais e mamães após um dia complicado no trabalho chegam em torno das 9, 10 ou até 11 da noite em casa (Esqueça seu 9 to 5 pace). O que você gostaria de encontrar? Sua casa limpa, comida pronta. É isso que nos motiva a procurar empregadas domésticas. Um universitário aqui não conta com essas mordomias, assim como alguém que acabou de obter emprego. Vejo minha família um tanto quanto a do Jim Carrey em Dick & Jane. Eles tem empregada. E são americanos. Ela é mexicana. OH meu Deus! Isso é quase como falar que vocês exploram o baixo custo da mão de obra importada! Mas isso seria ridículo, não?


Sabe, falei tudo isso e acho que o que eu mais queria dizer era simplesmente:
Não generalize. Não cuspa na cara da cultura alheia. É o costume no país, não vemos nada de errado nisso, achamos estranho o quanto famílias americanas e de países desenvolvidos, nos quais a mão de obra é CARA (o que não acontece aqui)se esforçam na divisão de tarefas e até os admiramos. E você tem todo direito de achar estranho apelarmos para uma empregada, mas não esculache. Quem pode pagar, tem direito ao conforto que lhe pode ser proporcionado pelo dinheiro. Pelo menos nossa mão de obra é nossa. :)

RafaelMC said...

Se você acha tão impressionante e egoísta um brasileiro de classe média ou classe média alta ter uma empregada, me responda o seguinte. E se todo mundo deixasse de ter empregadas?
Lá se vai a classe C e D brasileira, a economia vai se desestabilizar, chegando, talvez, a uma crise. Exagero? Não. 90% das pessoas de classe média têm uma empregada fixa em casa. É assim que funciona, enquanto o salário mínimo permanecer baixo.

Anonymous said...

hahahahahahaha, cara, MUITO bom esse post! Parabéns!

Anonymous said...

Rafael estou contigo e não abro mão.
Hoje as empregadas e diaristas estão cheia de "não me toque","não me olhe de lado", não me ofende, porque dar trabalho para elas é ofender. Sabe, né...Gostam de limpar o minimo possivel para assim achar que estão tirando vantagens!
Hoje tem direitos reservados por lei, bom salarios (digo quem paga mais que o minimo por mês),férias remuneradas, licença maternidade/ estabilidade por 5 meses, enfim... e não suporta a patroa de tanta inveja, porque a mesma estudou, o contrario da empregada/diarista que decidiu não completar o 2° grau e fazer no minimo 3 filhos.
Dizem por aí que o serviço delas estão cada vez mais dificil de contratar porque o salário esta alto.
Ok.
Eu digo que os brasileiros que tem condições de pagar vai continuar pagando e as empregadas/ diaristas que não tem experiencia, competencia e um bom português vai ficar roendo as unhas dos dedos das mãos e dos pés quando estiver desempregadas, porque não só elas estão exigentes cobrando o que acham justo, e sim nós patrões também somos muito exigentes e não queremos alguém que fale de "probremas", "servisio", "esperiensia" para ensinar seus filhos a falarem errado desde cedo!
E ainda ganharem um sotaque de brinde.

Querem cobrar 800,00 a 1500,00 por mês ok, desde que saiba falar, se portar diante das pessoas, ter boa aparencia, saber atender e anotar recado de forma correta e no minimo o 2º grau completo.
Sem contar na casa bem limpa e sempre arejada...
E principalmente tratar as micoses da unhas...porque a grande maioria das diaristas que conheci sofrem desse mal e acaba tendo que lavar seu arroz para cozinhar! nojento!!!

Sou a favor do bom salário e muito bem remunerado juntamente com a lei para defender o direito de todos.

Mas sou contra as domésticas em geral que sendo maioria ou minoria, sei lá, deixam a má fama por aí.

Certo?
Pagar bem e receber o "serviço" com qualidade, sem trazer os "problemas" de sua casa para o trabalho, e principalmente ter "experiencia" no ramo domestico!

Básico!!!!!
Acordem, não é tudo isso nãooo....
Abaixem a bola e voltem para estudar....
Ninguém pode ter salario de professsor de faculdade e trabalhar como domestica fazendo tudo errado e assasinando o coitado do portugues!

Fico bege!
Que horror!!!
De tanta ilusão.
hahahhaaha